As vezes os bobos desaparecem, mas deixam lembranças…

Publicado janeiro 6, 2012 por Ezequiel Elias dos Santos
Categorias: Apae Caraguatatuba, Boal, Educação, Teatro do Oprimido

Vou te contar o motivo da distância, como se fosse uma cena de teatro fórum… só que sem a intervenção de ninguém… Era uma vez… uma castelo que se intitulava um bom castelo, que cuidava de pessoas que precisavam de cuidados e passava uma imagem linda aos plebeus, pois os poderosos que sustentavam este castelo precisavam desta imagem até para se manter no poder. Mas um grande erro foi cometido… Um castelo tem um rei, uma rainha, principes e princesas e a plebe, tem até o bobo da corte, que nesse caso era eu…, mas neste castelo tinhamos duas rainhas, as duas queriam ser boas, se diziam boas, mas nem a plebe, nem o bobo da corte ainda não sabem quem realmente é a boa rainha, a jovem rainha escondida por detras de pouca beleza, com jeito meigo e delicado, ou será que a boa rainha é a rainha sem beleza exterior, que aparentemente joga nas constas da jovem rainha tudo que de mal acontece no castelo?  Na dúvida o bobo desta corte, resolveu caminhas por outros trilhos. Deixando a saudade a boa lembrança, risos e amizadas grande amores, fraternos e verdadeiros, de uma plebe lutadora. Quando os que sustentatam este castelo realmente perceberem o que ocorre lá dentro, os que colocam os que precisam de ajuda lá, pode ser que não queiram mais colocá-los lá, pois eles não são prioridade. Ha! pai! onde foi que nos perdemos no caminho? Mas se formos pensar em tantas injustiças e em tantas falsidades que ocorrem, descobriremos que nem um rei, nem um principe, nem uma única rainha fará deste reino, deste castelo, um lar. Precisamos lembrar que a dignidade passa pelo bolso sim, mas o amor, o respeito e a gratidão é algo que nunca se deve esqucer. Os que precisavam de ajuda, eu não conheci. A plebe eu me apaixonei, me encantei por ela. As rainhas, ainda não sei se neste connto de piscolocos terminamos com rainhas ou bruxas, só sei que eles existem.  Vcs são inteligentes o suficiente para saber que o mundo precisa de vida longa a uma nova rainha. Beijos.

Redação de Aluna da Escola Estadual Josepha de Santana Neves

Publicado outubro 11, 2011 por Ezequiel Elias dos Santos
Categorias: Sem-categoria

Tags:

O professor
O professor é um eterno aluno, é assim que eu vejo esse profissional.
Muitas vezes amigo, companheiro, dedicado, atencioso e aprendiz. Tenho-os como amigos, afinal teêm muito a ensinar e aprender, é assim que funciona uma amizade.
Como em uma amizade, sempre ocorre desentendimentos, cobranças, torcidas por algum objetivo, etc…
Quando ele é um carrasco, ainda assim, vejo-o como parceiro, porque todo professor sistemático costuma ser justo, e isso é tudo no relacionamento entre pessoas.
Gosto quando eu aprendo, mas curto mais ainda quando ensino algo para esse “aluno”.
Uma gíria nova, um jeito diferente de se vestir, a minha opinião sobre algum assunto, enfim o meu jeito de ser.
Vou guardar na memória cada um deles e procurar praticar tudo que aprendi, espero de todo o meu coração, também deixar a minha marca, afinal meus professores são professores da vida, e a vida é um eterno aprendizado.
Obrigado por ter matado a pior parte que existia em mim: a minha ignorância.!!!

Parabéns a aluna MANUELLA DEBRASSI do T3A que autorizou publicação.
Aluna do EJA escola Josepha de Santanna Neves.
Brilhante, você deve continuar a escrever, pois certamente terá um futuro brilhante.

PALESTRA UNIARARAS – POLO CARAGUATATUBA

Publicado abril 28, 2011 por Ezequiel Elias dos Santos
Categorias: Boal, direitos humanos, Educação, Educação prisional, ezequiel funap, Teatro do Oprimido

Read the rest of this post »

O Teatro do Oprimido

Publicado abril 26, 2011 por Ezequiel Elias dos Santos
Categorias: Boal, Educação

O Teatro do Oprimido é teatro na acepção mais arcaica da palavra: todos os seres humanos são atores, porque agem, e espectadores, porque observam.  Somos todos espect-atores.  O Teatro do Oprimido é uma forma de teatro, entre todas as outras…O elemento mais importante do Teatro é o corpo humano.

(extraido do livro: Jogos para atores e não atores) de Augusto Boal.

MINHA VISÃO SOBRE O PSICOPATA HOJE

Publicado abril 24, 2011 por Ezequiel Elias dos Santos
Categorias: Alunos da prisão, ASP, Educação, Educação prisional, ezequiel funap, febem, monografia, privados de liberdade, Relatos da prisão, Sem-categoria, unisa

Quando comecei a trabalhar em Instituição Privativa de Liberdade, pude me deparar com uma situação muito estranha, achava que todo criminoso era um psicopata, e nunca imaginei que viria descobrir que o psicopata se difere dos demais prisioneiros, o que segundo Glória Perez, o tira do terreno do crime, ainda que todos vivam de matar sonhos, esperanças, a confiança que os outros depositam nele. (citado no livro mentes perigosas – Dra. Ana Beatriz).
Passei a acretidar então que os que estão no meio carcerário merecem uma segunda chance… continua

Como iniciei o Psicodrama em minha vida

Publicado abril 21, 2011 por Ezequiel Elias dos Santos
Categorias: Alunos da prisão, direitos humanos, Educação, Educação prisional, Sem-categoria

Breve Histórico

Iniciei o Psicodrama  através do Projeto Direitos Humanos em Cena proposto pelo People’s Palace Projects, fruto do trabalho adquirido juntamente com a FUNAP, especialmente na execução do Projeto Drama – Processo Educativo Através do Teatro.  Neste momento, decidimos ousar e dialogar sobre o tema de maior controvérsia nas prisões: Direitos Humanos.
Parceria essa que se fechou com Peoples Palace Projects, Fundação Professor Doutor Manoel Pedro Pimentel – FUNAP, o Centro do Teatro do Oprimido, a Escola de Administração Penitenciária e a Secretaria da Justiça e Defesa da Cidadania – PROVITA, com o apoio do British Council e o financiamento da Community Found – UK.
O eixo central do Projeto Drama – Processo Educativo através do Teatro, desenvolvido desde 1995 foi a aplicação de oficinas dramáticas com o objetivo de desencadear um processo educativo para a transformação das atitudes frente as DST e AIDS.  Atendemos cerca de 6.500 presos, 600 funcionários e as oficinas de prevenção foram incorporadas ao currículo escolar e a pratica pedagógica dos educadores da FUNAP, sendo semestralmente aplicadas nas escolas das unidades prisionais.

FÓRUM PÚBLICO CASA CARAGUATATUBA CANCELADO

Publicado janeiro 22, 2011 por Ezequiel Elias dos Santos
Categorias: casa caragua, direitos humanos, Fundação Casa Caraguatatuba, privados de liberdade

 

Casa  Caraguatatuba – Fundação Casa – Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente

Creche Meimei – Caraguatatuba

COMUNICA A TODOS QUE O FÓRUM PÚBLICO DO DIA 22.01.2011 FOI CANCELADO POR PROBLEMAS INTERNOS OCORRINOS NA FUNDAÇÃO CASA.